Exportações da indústria têxtil caem 12,5% no semestre

A industrial têxtil brasileira sofreu queda de 12,5% em suas exportações no primeiro semestre de 2002 em comparação ao mesmo período do ano passado. O setor obteve vendas de US$ 550,5 milhões, ante os US$ 629,48 milhões registrados em 2001. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). No mesmo período as importações do setor caíram 22,93%, passando de US$ 703,22 milhões em 2001 para US$ 541,97 milhões este ano. Segundo a Abit, caso as exportações brasileiras para o mercado argentino tivessem se mantido no mesmo patamar de 2001 - quando somou US$ 672,59 milhões -, as vendas brasileiras aos mercados externos teriam subido neste primeiro semestre 6,85%, no total acumulado. Por outro lado, as importações brasileiras de produtos têxteis da Argentina, no período de janeiro a maio de 2002, recuaram 25,49% em relação ao ano passado, de US$ 76,48 milhões para US$ 56,99 milhões. Em termos de geração de empregos, a indústria têxtil brasileira registrou um pequeno aumento de 1% no seu número de postos no período de janeiro a maio de 2002 em relação ao mesmo período de 2001, saltando de 15,170 mil empregados para 15,301 mil, conforme os dados da Abit, que estima ainda que os investimentos da cadeia até 2008 totalizarão US$ 12 bilhões.

Agencia Estado,

17 de julho de 2002 | 11h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.