Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Exportações da Rússia pressionam trigo em Chicago

Cenário: Filipe Domingues

O Estado de S.Paulo

20 de março de 2012 | 03h07

O governo da Rússia informou ontem que não vai restringir as exportações de grãos da temporada 2011/12 e derrubou os preços do trigo no mercado internacional. Muitos investidores e analistas acreditavam que os russos iriam limitar os embarques para controlar os preços domésticos, mas o vice-primeiro-ministro, Viktor Zubkov, disse que o país tem estoques suficientes para satisfazer o mercado interno. A perspectiva agora é de oferta maior no mercado global e de concorrência mais acirrada com o produto dos Estados Unidos, que costuma ser mais caro. Diante disso, o contrato do trigo para entrega em maio na Bolsa de Chicago terminou o dia em baixa de 2,94%, cotado a US$ 6,5225 por bushel. Outro fator que pesou nas cotações foi a melhora do clima em áreas do produção dos EUA.

Com a queda do trigo, também o milho e a soja fecharam com perdas. O milho recuou 1,41%. A influência se deve principalmente ao fato de que ambos os grãos são usados na alimentação animal. Além disso, fundos de investimento costumam atuar simultaneamente em diversos mercados de grãos. Por isso, a soja fechou em queda de 0,55%, na medida em que fundos embolsaram lucros. O que conteve um pouco a desvalorização, tanto do milho quanto da soja, foi a expectativa de aumento da demanda chinesa. O consumo de alimentos cresce na China e a procura por grãos deve aumentar.

Em Nova York, o preço do café subiu 0,63%, recuperando-se após perdas recentes. Já o açúcar avançou 0,98%, com alta puxada pela queda da produção no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.