Exportações de carne bovina crescem 14,08%

As exportações brasileiras de carne bovina cresceram 14,08% em volume em janeiro de 2004, ante o mesmo mês de 2003, totalizando 117,95 mil toneladas. Em faturamento, a alta foi de 44,71%, passando de US$ 76,13 milhões, para US$ 110,17 milhões.De acordo com o presidente da Associação das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Pratini de Moraes, o crescimento se explica pelo reconhecimento crescente da qualidade da sanidade no Brasil, da qualificação do produtor brasileiro, da implantação da rastreabilidade e dos avanços tecnológicos dos frigoríficos brasileiros, especialmente aqueles que trabalham com exportações. Outro ponto que Pratini destacou foi a valorização do preço da carne brasileira. De acordo com os dados da Abiec, o preço médio da carne in natura subiu 30,12% em janeiro deste ano frente a igual mês de 2003, enquanto o da carne bovina industrializada registrou uma alta de 12,60%."Um dos nossos objetivos para 2004 é justamente trabalhar para a melhoria de preço", disse Pratini. "Nos últimos quatro anos, praticamos preços mais baixos porque estávamos conquistando mercado, mas agora é o momento de consolidá-lo e trabalhar melhor o nosso preço."Pratini explicou que também colaboraram para o aumento de preço o fato de o Brasil ter trabalhado com valores menores em 2003, por conta das altas taxas de câmbio e também por conta da doença da vaca louca nos Estados Unidos, que já abriu algumas novas oportunidades para a carne bovina brasileira. O presidente da Abiec disse ser possível que alguns dos países em que o Brasil cresceu mais de 50% em exportações em valor - Egito, Reino Unido, Rússia, Alemanha, Suécia e Irã - seja uma conseqüência da redução da oferta de carne norte-americana. Pratini disse também que o setor tem como objetivo prosseguir com as negociações para abrir novos mercados. Estão no foco dos frigoríficos brasileiros a área da Nafta e o Sudeste Asiático. "Para isso, estamos reforçando nossas ações de marketing e dando cobertura ao Ministério da Agricultura", explicou Pratini. "A única coisa que o Brasil tem que fazer para ganhar o mundo é mostrar o que faz."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.