finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Exportações de couro crescem e fabricantes de calçados reclamam

Vendas externas bateram recorde no ano passado e cresceram mais de 30% em fevereiro, mas o setor calçadista alerta que já começa a faltar matéria prima no mercado interno

Rene Moreira, especial para O Estado de S. Paulo,

11 de março de 2014 | 18h34

FRANCA - As exportações de couros e peles estão batendo recordes, para alegria dos produtores e desespero da indústria de calçados, que correm o risco de ficar sem matéria prima e estão pagando cada vez mais pelo produto.

Fabricantes de artefatos de couro dizem que os fornecedores estariam preferindo vender a produção no exterior, onde a demanda está aquecida.

A falta de matéria prima vai ser discutida nesta quarta (12) no polo calçadista de Franca, no interior de São Paulo, pelos presidentes da Abicalçados (Associação Brasileira da Indústria de Calçados), Heitor Klein, e do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil, José Fernando Bello.

No ano passado o Brasil exportou mais de US$ 2,5 bilhões em couros e peles, o maior valor na história do setor. Só em fevereiro as vendas totalizaram US$ 248 milhões, o que representa um crescimento de 31,3% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados preliminares da Secretaria de Comércio Exterior.

 

Briga. As exportações têm o apoio do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), que vê este setor como fundamental para melhorar o saldo da balança comercial brasileira.

Porém, quem necessita do couro como matéria-prima acredita o incentivo às exportações de couro tem como reflexo o risco de desemprego e fechamento de fábricas de calçados.

 

Segundo José Carlos Couto, presidente do Sindicato da Indústria de Calçados de Franca (SP), 90% do couro produzido no Brasil estaria sendo exportado. "Com a falta do produto no mercado interno, para não parar a produção algumas fábricas estão sendo obrigadas a pagar um valor absurdo pelo couro", reclama.

 

"Se continuarem crescendo as exportações, em breve não teremos couro para fabricar sapatos".

Os produtores brasileiros de couro vão participar nos de dois grandes eventos internacionais para promover as exportações: a Fimec, entre os dias 18 e 22 de março, em Novo Hamburgo (RS), e a APLF MM&T, em Hong Kong, na qual o Brasil marcará presença com destaque este ano. Ela acontece entre os dias 31 de março e 2 de abril e terá uma série de ações de marketing, comunicação e vendas visando ampliar a presença do couro brasileiro no mercado mundial.

Tudo o que sabemos sobre:
Calçados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.