Exportações de suco de laranja sobem 20,25% em janeiro

As exportações brasileiras de suco de laranja concentrado e congelado (FCOJ) somaram 116.394 toneladas em janeiro deste ano, fazendo com que o total acumulado na safra 2005/2006, iniciada em julho, atingisse 806.754 toneladas. O volume exportado no primeiro mês de 2006 é 20,25% maior do que o obtido em janeiro de 2005, quando foram vendidas 96.787 toneladas. Já o total exportado nos sete meses desta safra é 0,72% maior do que as 800.983 toneladas enviadas ao exterior no mesmo período da passada. Os dados são da Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos (Abecitrus), a partir de informações colhidas junto à Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria Comércio Exterior. DestaquesOs destaques de exportações da safra 2005/2006 seguem para a Ásia e os chamados outros mercados, formados principalmente por Oceania, Oriente Médio e Sudeste Asiático. Com a Ásia, de acordo com o levantamento, o crescimento nas exportações foi de 35,98% em 2005/2006, em comparação à safra passada. O volume saltou de 77.899 toneladas para 105.931 toneladas. As exportações para a Ásia seguem, desde novembro, maiores que as feitas para o Nafta, principalmente os Estados Unidos, que até então mantinham o segundo lugar na pauta da indústria processadora de suco do Brasil. NaftaAs exportações para o Nafta movimentaram 104.343 toneladas de suco entre julho de 2005 e janeiro de 2006, ante 101.510 toneladas em igual período em 2004/2005, aumento de 2,8%. Exportações suco de laranja para outros países dispararam de 40.153 toneladas, na safra passada, para 70.787 toneladas em 2005/2006, aumento de 76,29% se comparados os dois períodos. União EuropéiaJá a União Européia segue como principal cliente do Brasil no setor, apesar da queda nas exportações na safra. Entre julho e janeiro, houve uma redução nos embarques de suco de laranja de 9,48% ante o mesmo período de 2004. Em toneladas, a queda foi de 580 mil para 524.979.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.