Exportações do Mercosul para Argentina subiram 14,1%

Nos primeiros cinco meses de 2003, as exportações dos países sócios do Mercosul para o mercado regional aumentaram 14,1% em comparação com igual período de 2002, alcançando US$ 4,84 bilhões. Embora a cifra seja positiva, ainda se mostra 27,8% menor que o volume de negócios realizado em 2001, correspondente ao período em comparação. A análise do Centro de Estudos Bonaerenses (CEB) demonstra que a crise argentina provocou uma queda de 36,8% no comércio dentro do bloco, entre janeiro e maio de 2002. Antes, entre 1999 e 2001, as exportações dentro do Mercosul demonstraram variações positivas. De acordo com o CEB, a melhoria do volume de negócios teve uma forte influência da recuperação da economia argentina. Porém, ressalta que ?as dúvidas giram em torno do Brasil, cujo produto caiu 0,6% no primeiro semestre, e onde se prevê retrocesso de 1% em todo o ano?.Números brasileirosDurante os primeiros cinco meses do ano, as maiores vendas no mercado regional corresponderam à Argentina, com US$ 2,27 bilhões, o que corresponde a 19,5% de seu comércio exterior total. ?Esta cifra é menor do que a do mesmo período de 2002, como conseqüência da contração do mercado brasileiro. Em contrapartida, o maior nível de atividade da Argentina ajudou a levantar o comércio ao interior do bloco?, destaca o CEB. O Brasil vendeu no mercado regional, US$ 1,89 bilhão, quase 7% de suas exportações totais. Das vendas brasileiros ao bloco, a Argentina recebeu cerca de 80%. Na avaliação do CEB, as importações argentinas continuarão sendo o ponto de apoio da recuperação do intercâmbio regional, embora o comércio esteja ainda longe de recuperar os níveis prévios à crise argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.