Exportações e importações baterão recorde, diz economista

As exportações e importações do País deverão bater recorde histórico mensal em março, na comparação com meses anteriores de outros anos. A estimativa do ex-assessor econômico do Ministério do Planejamento e economista-chefe da Mandarim Gestão de Ativos, Eduardo Velho. Com base nas médias diárias das quatro primeiras semanas, Velho estima que as exportações ficarão perto de US$ 11,6 bilhões e as importações, ao redor de US$ 7,76 bilhões em março. No último sábado, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Luiz Fernando Furlan, havia antecipado ao Estado que a perspectiva é de que as vendas externas ultrapassarão a faixa dos US$ 11 bilhões, pouco depois de participar de uma regata no Rio de Janeiro, e que o valor encostaria no recorde histórico. Nas exportações, o maior valor foi registrado em agosto do ano passado, de US$ 11,346 bilhões. Já o maior valor mensal de importações também foi no mesmo mês de agosto, no valor de US$ 7,689 bilhões. Balança comercialO saldo da balança comercial (exportações menos importações) da quarta semana de março foi anunciado nesta segunda-feira. Segundo os dados, o saldo foi superavitário em US$ 864 milhões, registrando o quarto melhor resultado do ano. As exportações somaram US$ 2,563 bilhões, com média diária de US$ 512,6 milhões. Na comparação com março do ano passado, a média das vendas externas apresentou até agora um crescimento de 20,1%. As compras externas, por sua vez, atingiram US$ 1,699 bilhão, com média diária de US$ 339,8 milhões. A média das importações registrou um crescimento maior: 25,7%.No acumulado do ano, até a quarta semana do mês, as exportações cresceram 17,6% e as importações continuam em ritmo de crescimento maior: 22,3%. O saldo acumulado no mês passou para US$ 3,016 bilhões e no ano, o superávit acumulado é de US$ 8,682 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.