Exportações na zona do euro caem 2,3% em maio

Economia do bloco dá mais um sinal de que a contração mais longa da região no pós-guerra pode continuar pelo sétimo trimestre consecutivo

Agência Estado

16 de julho de 2013 | 06h28

LONDRES - As exportações da zona do euro caíram em maio, assim como as importações, um sinal de que a contração mais longa da região no pós-guerra pode continuar pelo sétimo trimestre consecutivo.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, disse nesta terça-feira que as exportações da zona do euro para o resto do mundo caíram 2,3% em maio ante abril e as importações recuaram 2,2%, segundo dados ajudados sazonalmente. A leitura mostrou o segundo mês seguido em que as exportações caíram acentuadamente.

A Eurostat disse que, antes dos ajustes sazonais, a zona do euro teve um superávit comercial de 15,2 bilhões de euros em maio, ante superávits 6,6 bilhões de euros em maio de 2012 e 14,1 bilhões de euros em abril. A ampliação do saldo comercial ao longo do ano deve-se inteiramente a uma queda de 6% nas importações, um sinal de debilidade da demanda interna. A previsão era um superávit comercial de 12,0 bilhões de euros em maio.

Em uma base ajustada sazonalmente, o superávit comercial caiu para 14,6 bilhões de euros em maio, 15,2 bilhões de euros em abril.

Preços

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro avançou para uma alta de 1,6% em junho na comparação anual, de 1,4% em maio, em linha com a estimativa preliminar e as expectativas dos economistas. Já na comparação mensal, o CPI subiu 0,1% em junho. O núcleo do CPI ficou estável no mês e avançou 1,2% no ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
zona do eurocomércioexportações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.