Exportadores argentinos interrompem embarques do país

Os exportadores de grãos da Argentina começaram a declarar motivo de força maior por conta da greve dos produtores no país que impossibilita o cumprimento dos compromissos de exportação. Entende-se como força maior todo acontecimento inevitável, em relação à vontade do envolvido, e relacionado a fatos externos, independentes da vontade humana, que impedem o cumprimento das obrigações."Declaramos o motivo de força maior e algumas companhias não conseguem cumprir seus compromissos de exportação", afirmou um executivo da área à agência de notícias Dow Jones. Os analistas espera uma onda de defaults (não-cumprimento de contratos) na próxima semana, à medida que os estoques de grãos nos portos diminuem. "De acordo com informações que recebemos, os estoques nos portos são suficientes para cobrir apenas uma semana de exportação", disse o analista do Roagro, Pedro Amuchastegui. Os produtores argentinos retomaram o locaute na quarta-feira passada (dia 7), depois de um mês de negociações frustradas com o governo da presidente Cristina Kirchner sobre as tarifas de exportação incidentes sobre a soja. Desta vez, o grupo optou por bloquear as estradas que levam aos portos argentinos. Amanhã, os ruralistas decidem se manterão os bloqueios. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.