Exportadores criticam barreira argentina a eletrodomésticos

O vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, disse hoje que as barreiras impostas pela Argentina às exportações brasileiras de produtos eletroeletrônicos poderão provocar um clima de incerteza na reunião de cúpula do Mercosul, que tem início hoje em Puerto Iguazú. ?Causou surpresa as barreiras terem sido anunciadas na véspera da reunião (do Mercosul), principalmente porque o México vai participar", afirmou.Segundo ele, os eletroeletrônicos brasileiros não estão entre os 10 itens mais exportados para o país vizinho. ?Muitas empresas argentinas de eletroeletrônicos fecharam por que não têm crédito. Elas têm problemas de produção. A importação foi uma alternativa para esse problema?, afirmou.O vice-presidente da AEB disse que as entidades de classe do setor do Brasil e da Argentina estavam negociando um sistema de cotas, como já aconteceu com os têxteis e os calçados. ?Essa negociação deve passar para o nível governamental. Normalmente a Argentina acaba negociando um sistema de cotas?, disse. Castro considerou que a Argentina é que se beneficiaria com o estabelecimento de cotas de importação de eletroeletrônicos brasileiros, já que ?o país exportador sempre tem uma cota menor do que gostaria?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.