Exposição mostra 120 anos da bolsa paulista

Acontecimentos que marcaram o mercado, o Brasil e o mundo são apresentados em fotos e reportagens publicadas no 'Estado'

Cley Scholz, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2010 | 00h00

Em comemoração aos seus 120 anos, a BM&FBovespa abre hoje uma exposição de fotos e reportagens publicadas no "Estado" que apresentam os fatos históricos que marcaram sua trajetória. A abertura será às 9 horas, com o toque da campainha que era utilizada antigamente nos pregões. Os 30 painéis reproduzem as capas mais importantes do jornal desde a fundação da Bolsa Livre de São Paulo, em 23 de agosto de 1890.

Edemir Pinto, diretor-presidente da BM&FBovespa, lembra que a Bolsa é uma das poucas empresas no Brasil que têm uma história de mais de um século para contar, assim como o Estado. "As notícias selecionadas para esta exposição mostram que tanto a bolsa quanto o jornal tiveram uma atuação convergente na defesa da liberdade de expressão e da iniciativa privada, seguindo os ideais de seus fundadores", afirma Edemir.

Os acontecimentos em destaque na exposição vão desde a Proclamação da República, em 1889, até a crise mundial de 2008, passando por duas guerras mundiais, a crise econômica americana de 1929, os embates do petróleo e o pânico de 1987 na Bolsa de Nova York.

Evolução. A evolução da economia e do mercado levaram à criação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). O impacto dos Planos Cruzado e Collor e a implantação do real também são mostradas nas páginas do jornal em uma história que chega até o processo de fusão das então duas bolsas paulistas, que fez surgir a BM&FBovespa.

Há também notícias sobre a Revolução de 1930, o levante constitucionalista de São Paulo (1932), o suicídio do ex-presidente Getulio Vargas, a renúncia de Jânio Quadros, o movimento de 1964, a conquista do tricampeonato mundial de futebol em 1970, o movimento Diretas Já e a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva.

História. Em 23 de agosto de 1890 foi fundada a Bolsa Livre de São Paulo. Quinze anos antes, em 1875, começava a circular o jornal A Província de São Paulo, que mais tarde passaria a se chamar O Estado de S. Paulo e se transformou em um dos jornais mais importantes do Brasil.

Tanto o jornal como a bolsa nasceram do idealismo de dois irmãos: Francisco e Emílio Rangel Pestana. Em pleno Império, Francisco criou o jornal para defender ideais republicanos e foi redator-chefe até 1891 - em 1885, Júlio Mesquita ingressa no jornal como redator e, em 1902, tornou-se o único proprietário da publicação.

Emílio era comerciante, corretor, defensor da iniciativa privada, e lançou as bases da instituição que se transformou na maior bolsa de valores da América Latina.

Os episódios mais importantes, ao longo dos 120 anos de história da bolsa, estão registrados nas páginas do Estado. Desde o início, quando as negociações eram registradas com giz em uma lousa de pedra escura até o moderno pregão eletrônico, com transmissão em tempo real. Os fatos em destaque na exposição (informações no quadro) apresentam uma viagem fascinante pela história do Brasil e do mundo, com as consequências e repercussões de cada evento no mercado de capitais e nas bolsas de valores e de mercadorias paulistas.

PROGRAMAÇÃO

Exposição

BM&FBovespa nas páginas da história

Local

Espaço BM&FBovespa

Rua XV de Novembro, 275

Centro. São Paulo/SP

Horário

Até 27 de outubro, das 10 às 17 horas, de segunda a sexta-feira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.