finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Exterior contrabalança BC e dólar fecha quase estável

O dólar terminou esta sexta-feira praticamente estável frente ao real, anulando a alta observada no meio da tarde em meio ao fraco desempenho da moeda no exterior.

JOSÉ DE CASTRO, REUTERS

18 de fevereiro de 2011 | 16h52

A divisa dos Estados Unidos teve variação positiva de 0,06 por cento, a 1,664 real na venda, depois de na máxima registrar ganho de 0,54 por cento.

Na semana, a cotação registrou queda de 0,18 por cento.

"Essa alta do dólar foi no período em que o Banco Central anunciou as intervenções no mercado de câmbio", resumiu Victor Asdourian, operador de câmbio da Hencorp Commcor Corretora.

O BC fez um leilão de compra de dólares a termo, uma operação de swap cambial reverso e um leilão de aquisição de moeda estrangeira no segmento à vista. A atuação foi mais intensa, já que na véspera a autoridade monetária realizou apenas um leilão no spot.

Na opinião dos analistas do banco francês BNP Paribas, o real poderia refletir mais os fundamentos caso o BC interviesse menos no mercado.

"Os fundamentos são muito favoráveis ao real, e o que evita movimentos mais amplos na cotação são as atuações das autoridades", acrescentaram em relatório.

Segundo Asdourian, da Hencorp Commcor, a queda do dólar no cenário internacional serviu de argumento para que investidores reduzissem a demanda pela moeda vista mais cedo, favorecendo a estabilidade na cotação perto do fechamento.

A moeda norte-americana cedia 0,5 por cento frente a uma cesta de divisas, influenciado principalmente pela valorização do euro e do franco suíço.

A divisa única repercutia comentários de Lorenzo Bini Smaghi, membro do Conselho Executivo do Banco Central Europeu (BCE), segundo o qual o BCE está pronto para aumentar o juro básico na região caso haja pressões de preços. Já o franco suíço seguia beneficiado por preocupações geopolíticas no Oriente Médio.

Na próxima semana, investidores seguirão atentos ao humor no cenário externo, monitorando, entre outros, dados referentes à confiança do consumidor e de vendas de casas usadas nos Estados Unidos. Internamente, o mercado seguirá atento aos dados de balança comercial e fluxo cambial.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.