Extra quer dobrar venda de roupas com marca própria

A rede Extra de hipermercados pretende ampliar as vendas de vestuário com marca própria. A empresa lançou três novas grifes de vestuário, que se somam às três lançadas no ano passado, além da linha de cama, mesa e banho feita sob encomenda para as lojas da bandeira. De acordo com a diretora de comercialização do departamento têxtil, Rose Silveira, as marcas próprias já representam 15% das vendas da divisão de vestuário do grupo. "A intenção é que este ano as nossas marcas representem 30% das nossas vendas de vestuário", explica Rose Silveira. Embora não revele o quanto esse porcentual significa em termos de faturamento, tudo indica que a aposta vale a pena. O grupo está investindo em reformas nas 55 lojas da rede para criar espaços propícios à circulação de clientes que queiram comprar e experimentar roupas, com iluminação e pisos especiais. Até o final do ano, toda a cadeia Extra terá a seção de vestuário remodelada.Para Vânia de Alcântara Machado, diretora de marketing da rede Extra, o consumidor perdeu o preconceito contra comprar roupas num hipermercado. A empresa aposta num preço competitivo para ganhar a atenção do público. Segundo Rose Silveira, a idéia é trabalhar com preços até 20% inferiores aos de modelos de shopping.A empresa apresentou as primeiras coleções das novas grifes (a Arkitect, de moda feminina, a Cast, para o público masculino, e a BreakSea, de surfwear). Trata-se de mais uma aposta do grupo nas marcas próprias para ?fidelizar? a clientela com peças para um público de 18 a 45 anos.O grupo já havia lançado no ano passado as marcas Bambini, de roupas de bebês, Boomy Kids, de crianças e Life, para adolescentes.Num desfile estilizado, que contou com a presença da badalada Adriane Galisteu como apresentadora, modelos circularam com os jeans, blusas e conjuntos despojados com um toque ?fashion?, feitos sob medida por 30 fornecedores diferentes para as grifes da empresa.Antes da abertura do evento, o diretor do grupo Pão de Açúcar, João Paulo Diniz, deu o tom da nova investida: "A empresa quer investir cada vez mais na área têxtil, para ter um diferencial de muita qualidade com o melhor preço".Algumas peças dão uma idéia da faixa em que o Extra vai atuar. Uma jaqueta jeans, por exemplo, vai chegar às lojas por R$ 39,90.Cerca de 20 pessoas estão trabalhando com a nova divisão, atuando principalmente no desenvolvimento dos modelos exclusivos. A empresa pretende investir na variedade e renovar sempre a modelagem. A expectativa, segundo Rose Silveira, é colocar entre 70 e 80 modelos novos por mês de cada grife.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.