Massao Goto Filho/FSB
Massao Goto Filho/FSB

Fábio Carvalho conclui compra da Abril e assume como presidente

Empresário vai assumir empresa, que está em recuperação judicial e publica títulos como 'Veja' e 'Exame'

Fernando Scheller e Luciana Dyniewicz, O Estado de S. Paulo

17 de abril de 2019 | 17h18

O empresário Fábio Carvalho, especializado em assumir empresas em dificuldades, assinou contrato nesta quarta-feira, 17, para a compra do Grupo Abril. Dentro do acordo, ele assume também a presidência da companhia, que publica títulos como Veja, Exame e Cláudia.

O grupo soma dívidas de R$ 1,6 bilhão e está em recuperação judicial. A assembleia para discussão do plano de recuperação da companhia está prevista para 25 de maio. Carvalho é sócio da Legion Holdings e já assumiu outras empresas em dificuldades no passado, como as varejistas Leader e Casa & Vídeo.

Carvalho buscará alongar prazos para o pagamento de dívidas em até 18 anos, tendo pedido descontos superiores a 90% a credores. Uma outra alternativa em discussão, segundo revelou o Estado, é a venda da revista Exame para o banco BTG Pactual. O negócio faz parte de uma estratégia de fatiamento do grupo, que também poderá incluir a venda separada de ativos como o Guia do Estudante e a Casa Cor (evento do setor de arquitetura e decoração).

Fábio Carvalho havia anunciado em dezembro de 2018 a compra de 100% do Grupo Abril. Ele pagou um valor simbólico, de R$ 100 mil, pelo negócio que concentra as principais revistas do País. O executivo passou os últimos quatro meses tentando concluir o acordo. 

Na época, em entrevista, Carvalho disse que a Abril ainda não gera receitas suficientes para pagar suas obrigações, apesar da reestruturação capitaneada pela consultoria americana Alvarez & Marsal ao longo do ano passado. Para garantir o equilíbrio do negócio no curto prazo, Carvalho disse que pretende injetar R$ 70 milhões em dinheiro novo na Abril, em forma de financiamento do BTG.

A dificuldade de recuperação dos débitos da Abril já despertou o apetite de empresas especializadas em compra de dívidas de difícil recuperação. Cerca de R$ 1,2 bilhão do total da dívida, que estava nas mãos dos grandes bancos brasileiros, já foi vendida. A Enforce, controlada pelo BTG Pactual, adquiriu esses débitos e a se encarregar da cobrança. 

Para atrair um investidor, a Abril teve de reduzir sua operação a uma fração da abrangência que a companhia já teve. Hoje, o grupo publica poucas revistas, entre elas "Veja", "Exame", "Cláudia", "Superinteressante", "Quatro Rodas", "Saúde", "Você S.A." e "Você RH". Mantém ainda alguns títulos online, como "Capricho" e "Minha Casa". Além de ter reduzido custos com aluguel ao sair de sua tradicional sede, em São Paulo, a companhia demitiu cerca de 800 profissionais em agosto de 2018. Hoje, o grupo tem cerca de 3 mil funcionários.

Tudo o que sabemos sobre:
Editora AbrilFábio Carvalhoimprensa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.