Fábrica da chinesa Chery no Brasil terá investimento de US$ 400 milhões

Planos. Na primeira fase do projeto, em Jacareí, montadora chinesa prevê investir US$ 134 milhões, para atingir uma produção de 50 mil carros por ano a partir do final de 2013; com expansão, capacidade poderá chegar a 150 mil carros por ano

, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2010 | 00h00

A Chery, maior fabricante de automóveis da China, oficializou ontem seu projeto de abrir uma fábrica no Brasil, na cidade de Jacareí (SP). Os investimentos podem chegar a US$ 400 milhões, com uma capacidade de produção final de até 150 mil carros por ano.

Na primeira fase do projeto, a previsão de investimentos é de US$ 134 milhões, com criação de cerca de mil empregos diretos, para atingir uma capacidade de produção de 50 mil veículos por ano até o fim de 2013.

A empresa não divulgou qual carro será produzido na fábrica, mas, segundo o Estado já havia apurado, o primeiro produto deve ser um carro pequeno, na faixa do Gol e do Palio, identificado como projeto S18, que está sendo desenvolvido na China e será produzido localmente com motor flex.

A fábrica da empresa chinesa terá 1 milhão de metros quadrados de área construída e ficará próxima à Via Dutra, segundo a Investe São Paulo, agência paulista de promoção de investimentos e competitividade.

Segundo a agência, além de fatores como logística, condições de infraestrutura, recursos humanos e mercado consumidor, a opção da Chery por São Paulo foi motivada pelo programa estadual de incentivo ao investimento de montadoras (Pró-Veículo), criado há dois anos e que prevê a suspensão do pagamento do ICMS para a aquisição de mercadorias, equipamentos, partes e peças.

A proposta da Chery foi oficializada ontem durante a ExpoXangai, na China, em um memorando assinado pelo presidente da Chery Automobile, Yin Tongyue e pelo presidente da Investe São Paulo, Mario Muganini Jr. "Esse foi o melhor momento da viagem", disse o prefeito de Jacareí, Hamilton Ribeiro Mota, também presente no evento.

A Chery tem 15 unidades produtivas em 11 países, fabrica mais de 17 modelos e emprega aproximadamente 22 mil funcionários em todo o mundo. Sua capacidade de produção anual é de 650 mil carros, 650 mil motores e 400 mil transmissões. Na China, a Chery fica sediada em uma área de aproximadamente 2 milhões de metros quadrados, na cidade de Wuhu, província de Anhuí.

Disputa. As negociações para a vinda da Chery começaram há cerca de um ano, mas antes da definição por Jacareí também estavam na concorrência as cidades de Taubaté e São José dos Campos, no Vale do Paraíba, além de Sorocaba e municípios nos estados de Pernambuco, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Jacareí foi escolhida, segundo Mota, por estar localizada no maior centro consumidor do País. Segundo o prefeito, os chineses estão muito interessados em investir no Brasil. "Ele estão cientes do crescimento econômico vivido pelo País e do que está para acontecer, como a Copa do Mundo, a Olimpíada, o Trem de Alta Velocidade, pré-sal e PAC", disse Mota.

Além da contrapartida da prefeitura, que oferecerá condições básicas de infraestrutura como energia elétrica, água e esgoto, a Chery também poderá ter isenção de IPTU por pelo menos 20 anos, conforme programa de incentivos fiscais do município.

Segundo a agência Investe São Paulo, também será estudada a possibilidade de formação de mão de obra especializada nos setores automotivo e metalmecânico, por meio de cursos técnicos do Centro Paula Souza. A delegacia local do Centro de Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) também pretende reforçar os cursos do Senai de Jacareí para garantir pessoal treinado à indústria. / JOÃO CARLOS DE FARIA, ESPECIAL PARA O ESTADO, COM AGÊNCIAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.