Divulgação
Divulgação

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Fabricante de Botox recebe ‘oferta hostil’ de US$ 45,6 bilhões

Indústria farmacência canadense Valeant fez proposta de aquisição diretamente aos acionistas da Allegan, que produz a famosa droga injetável capaz de atenuar sinais de envelhecimento

Associated Press,

23 de abril de 2014 | 09h26

NOVA YORK - A gigante farmacêutica Valeant, do investidor canadense Bill Ackman, apresentou uma oferta de compra da Allergan, fabricante de botox, no valor de US$ 45,6 bilhões, o equivalente a R$ 102 bilhões.

A tentativa de compra está sendo feita através de uma 'oferta hostil', feita diretamente aos acionistas, sem negociação prévia com a diretoria da empresa alvo da proposta.

Se o negócio biolionário se concretizar, a Valeant passa a deter a patente de uma série de outras drogas e cosméticos, além do famoso Botox, produto que auxilia as pessoas a esconder os sinais de envelhecimento.

Com isso a canadense amplia a sua linha de produtos abocanhados com uma série de mais de 50 aquisições de empresas feitas nos últimos anos, que transformaram a empresa em uma das maiores do farmacêuticas do Canadá.

 

De acordo com a proposta, cada ação da Allergan seria trocada por US$ 48,30 em dinheiro e 0,83 ações ordinárias da Valeant Pharmaceuticals International. Os acionistas poderiam escolher uma combinação de dinheiro e ações.

O presidente da Valeant, J. Michael Pearson, informou em um comunicado que o presidente executivo da Allergan, David Pyott, e a diretoria da empresa, deixaram claro que eles não querem discutir a proposta de combinação de dinheiro e ações. Ele acrescentou, porém, que a apresentação da oferta permitirá que os dois lados "se envolvam em discussões produtivas" sobre a aquisição.

A Allergan também divulgou um comunicado informando que pretende avaliar a proposta no âmbito do seu conselho de administração, juntamente com consultores financeiros e jurídicos.

Leia também: Novartis muda estrutura de negócios globais

Na terça-feira, a empresa anunciou que havia adotado um plano de direitos dos acionistas para este ano. Planos de direitos são normalmente utilizados por uma empresa quando ela se vê diante de uma 'oferta hostil' de aquisição, como é o caso.

A Allergan disse que seu objetivo é permitir que o seu conselho "tenha tempo para pesar o mérito de qualquer negócio".

 

A Valeant, que tem sede em Laval, no Quebec, disse que antecipou para a Allergan a proposta de compra, que resultaria em mais de US$ 2,7 bilhões em economia de custos anuais para os dois lados.

 

A Allergan, com sede em Irvine, Califórnia, tem sido considerada uma das estrelas do setor farmacêutico, por causa do sucesso do botox.

As farmacêuticas especializadas se diferenciam das indústrias farmacêuticas menores que vendem uma grande variedade de drogas, como a Pfizer e a Merck.

 

A Allergan reportou uma receita de US$ 6,3 bilhões no ano passado, com um aumento de 12% em relação a 2012.

O crescimento da empresa tem sido impulsionado pela expansão do uso de seu produto 'blockbuster', o Botox, combinado com uma ampla oferta de medicamentos de saúde ocular, fórmulas de cuidados da pele e implantes mamários.

 

Vendas de botox crescem. No ano passado, as vendas de Botox aumentaram 12%, para cerca de US$ 2 bilhões. Introduzida pela primeira vez em 1989, a droga injetável é famosa por sua capacidade de suavizar linhas de rugas na testa, que são sinais de envelhecimento.

Mas, ao longo dos anos, a Allergan já acumulou mais de meia dúzia de outros usos aprovados para o Botox, incluindo o tratamento de espasmos no pescoço, distúrbios musculares dos olhos e enxaqueca.

 

As ações da Allergan subiram mais de 15% na terça-feira, 22, após a notícia da oferta de aquisição. As ações da Valeant subiram mais de 7%.

 

A Valeant também anunciou que está elevando sua previsão de ganhos para o ano de US$ 8,55 por ação para US$ 8,80, acima da estimativa anterior. Também está aumentando sua previsão de receita de US$ 8,3 bilhões para US$ 8,7 bilhões.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Botox

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.