Facebook cobrará das empresas por ofertas promocionais

Serviço Facebook Offers, lançado no início do ano e que era gratuito até agora, passará a ser pago

SAN FRANCISCO, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2012 | 03h06

O Facebok afirmou que vai começar a cobrar das empresas para veicular ofertas promocionais em sua rede social, transformando um serviço gratuito em um potencial gerador de receita, em um momento em que investidores e analistas exigem novas fontes de crescimento da empresa recém-listada em bolsa.

O Facebook lançou o Facebook Offers no início deste ano, permitindo que varejistas e lojistas locais enviem anúncios de ofertas para seus fãs na rede social. Os usuários recebem as ofertas em suas páginas de novidades e resgatam cupons em lojas para receberem os descontos.

O serviço tem sido gratuito para os anunciantes, mas nas próximas semanas o Facebook vai cobrar pagamento de pelo menos US$ 5 sobre anúncios relacionados para promover cada oferta a uma audiência selecionada de fãs e amigos de fãs. O custo vai variar baseado no tamanho da página da empresa no Facebook.

"Eles devem conseguir cobrar uma tarifa, seja sobre uma oferta ou sobre qualquer outra ferramenta de marketing", disse Colin Sebastian, analista da R.W. Baird. "A questão é se o Facebook vai cobrar um valor apropriado dos anunciantes pelo direito de publicarem uma oferta, por exemplo, se a oferta gerar um retorno positivo."

Desde que o Facebook se tornou uma empresa de capital aberto, em maio, tem sido pressionado por Wall Street para mostrar como pode transformar sua enorme rede de usuários em uma máquina de dinheiro. As ações do Facebook perderam cerca de 40% de seu valor desde a estreia.

O comércio no Facebook, conhecido como f-commerce, ainda não se materializou, parcialmente porque os varejistas têm conseguido aproveitar uma série de ferramentas gratuitas da rede para atrairem clientes.

A vinculação do Facebook Offers a um serviço pago sugere que a empresa está tentando mudar isso. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.