Facebook pede que UE analise compra do WhatsApp

A compra do serviço de mensagens WhatsApp pelo Facebook enfrenta uma possível análise sobre concorrência na Europa. O acordo fechado no começo do ano foi avaliado em US$ 19 bilhões e aumentou as preocupações entre as empresas de telecomunicação da Europa.

AE, Agencia Estado

28 de maio de 2014 | 11h21

O Facebook entrou em contato com a Comissão Europeia, a autoridade antitruste central da União Europeia, para pedir que analise o acordo, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. A Comissão informou as autoridades nacionais da concorrência sobre o pedido, disse uma das fontes.

A medida, que pode levar a uma investigação oficial na UE, pode permitir que o Facebook evite investigações antitruste potencialmente onerosas em vários países do bloco europeu.

"O Facebook pode preferir ir para a comissão em vez de ir a várias autoridades reguladoras nacionais, sendo que cada uma pedirá para obter informações", disse Thomas Graf, um advogado de defesa da concorrência no Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, em Bruxelas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
UEFacebookWhatsApptecnologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.