Facebook quer ampliar publicidade em vídeo

Com 1,15 bilhão de usuários, rede social planeja vender espaços publicitários de 15 segundos a um valor entre US$ 1 milhão a US$ 2,5 milhões por dia

Bloomberg News, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2013 | 02h14

Para romper o longo domínio da televisão no mercado publicitário, o Facebook planeja vender comerciais em vídeo, no estilo da TV, em seu site. Os anúncios serão veiculados por US$ 2,5 milhões diários. A informação foi revelada ontem pela agência Bloomberg, que diz ter ouvido fontes envolvidas no assunto.

As ações da rede social fecharam o dia em alta de 6,2%, a US$ 37,63 cada, maior valor desde a abertura de capital em maio de 2012, quando valiam US$ 38. Durante o pregão, elas chegaram a ser negociadas por US$ 37,96. Desde a divulgação do balanço do Facebook na semana passada, as ações da empresa subiram 40%.

  

Segundo a Bloomberg, a maior rede social do mundo, com 1,15 bilhão de usuários, pretende oferecer espaços para spots de 15 segundos para anunciantes a partir do fim do ano.

A iniciativa se segue a medidas adotadas por concorrentes para atrair os dólares de propaganda que tradicionalmente vão para as redes de TV. Nos últimos anos, o Google começou a financiar produtores de conteúdo no YouTube, oferecendo parte da receita com comerciais veiculados nos vídeos

Quanto ao Facebook, a ideia é tirar o máximo proveito dos milhões de usuários que checam o site diariamente, incluindo durante o horário nobre cobiçado pelos anunciantes na TV. No último trimestre, 61% dos usuários do Facebook entraram no site diariamente - número que aumentou apesar das previsões de queda.

"Toda noite entre 88 milhões e 100 milhões de pessoas estão ligadas no Facebook durante o horário nobre da TV, só nos Estados Unidos", afirmou Sheryl Sandberg, diretora de operações da empresa durante videoconferência para anunciar os resultados do segundo trimestre.

O Facebook não quis comentar o novo projeto de publicidade em vídeo.

Oportunidade. Embora a rede social já permita que anunciantes publiquem vídeos em sua página no Facebook, o novo serviço permitirá a eles inserirem anúncios de 15 segundos diretamente na lista de atualizações (feed de notícias) de um usuário. Esta é a duração mínima normal de um comercial de TV.

O espaço para comerciais inicialmente será vendido para um dia inteiro e os anúncios só poderão ser dirigidos para os usuários com base na idade e gênero, segundo as fontes. Os usuários do Facebook não verão o spot publicitário mais de três vezes num determinado dia. Dependendo do tamanho da audiência que se pretende alcançar, os preços dos anúncios podem variar de US$ 1 milhão a US$ 2,5 milhões por dia.

O presidente executivo e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, tem trabalhado com a chefe de marketing global, Carolyn Everson, no serviço de anúncios em vídeo. Ele adiou a data de lançamento do serviço pelo menos duas vezes, para se certificar de que a experiência do usuário não será afetada pelos anúncios. Zuckerberg quer que os vídeos sejam em alta definição e que os recursos sejam fáceis de usar.

A iniciativa do Facebook deve intensificar a competição com o Twitter, rede social que também tem cortejado anunciantes de TV, numa aposta para chegar a US$ 1 bilhão de vendas de anúncios em 2014. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.