Falha técnica prejudica confiança em ações na China

A confiança no mercado de ações da China foi abalada depois da turbulência causada por uma falha técnica na última sexta-feira, que deve deter ainda mais os investidores a se aventurar com ações chinesas.

LUCIANA ANTONELLO XAVIER, Agencia Estado

18 de agosto de 2013 | 11h50

Uma avalanche acidental de ordens de compra pela corretora Everbright Securities levou a Bolsa de Xangai a disparar 5,6% em questão de minutos, para depois terminar o dia no negativo uma vez que as negociações da corretora foram suspensas.

O movimento montanha-russa veio num momento em que as ações chinesas estavam começando a se recuperar de um primeiro semestre nebuloso, no qual a Bolsa de Xangai perdeu 8,3%, a maior perdedora entre as bolsas da Ásia no período.

Indicadores econômicos recentes mostram que a segunda maior economia do mundo pode estar se estabilizando depois de ter desacelerado, ao mesmo tempo em que o governo tem dado suporte à economia para ajudar na retomada.

A Comissão Regulatória de Valores Mobiliários da China disse em nota neste domingo que o problema nas transações da Everbright da última sexta-feira foram causados por problemas de design do programa utilizado no sistema da corretora e não por falha humana. O erro resultou em transações infladas para 23,4 bilhões de yuans, (US$ 3,8 bilhões), enquanto as transações reais foram de 7,27 bilhões de yuans, informou a comissão. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinabolsaEverbright Securities

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.