Falsa loja da Apple provoca revolta em clientes chineses

Os clientes de uma Apple Store na cidade chinesa de Kunming insultaram ontem funcionários da empresa e exigiram restituição de seu dinheiro, depois que um blogueiro revelou que a loja era na verdade uma falsificação de um ponto de venda legítimo da companhia norte-americana.

Reuters, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2011 | 00h00

Por muito tempo alvo de piratas e revendedores não autorizados, a Apple foi alertada sobre a falsa loja por um blogueiro norte-americano que vive em Kunming, uma cidade no sudoeste da China a mais de 1,6 mil quilômetros das lojas genuínas mais próximas da marca, em Pequim e Xangai.

"Quando ouvi a notícia, corri para cá imediatamente para pegar uma nota fiscal; fiquei muito zangada", disse uma cliente, que comprou um MacBook Pro e um iPhone 3G por US$ 2,17 mil na loja de Kunming. Os funcionários não forneceram nota fiscal e a instruíram a voltar depois para pegar o documento. "Onde está minha nota? Vocês me prometeram a nota no mês passado!", gritava Wang com os vendedores, antes de ser convidada a subir ao piso superior para ser atendida.

Os funcionários disseram que os produtos não são falsificados. A Apple se recusou a comentar sobre essa loja e outras como ela espalhadas pela China. A empresa só tem quatro Apple Stores legítimas no país - em Pequim e em Xangai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.