Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Falta coerência às políticas do Brasil, diz economista de Harvard

O economista Ricardo Hausmann, da Universidade Harvard, disse ontem, no Fórum Econômico Mundial no Rio, que a "economia brasileira tem um limite de velocidade muito baixo" e que "o problema do Brasil é a falta de coerência nas políticas macroeconômicas".

Fernando Dantas, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2011 | 00h00

As declarações foram feitas por Hausmann pouco antes de assumir o papel de mediador num debate do qual participou Luciano Coutinho, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Na discussão, Hausmann repetiu as críticas, mas num tom mais moderado.

Segundo Hausmann, o fato de que a economia brasileira está superaquecendo com um ritmo de crescimento de 4% ao ano é sinal do baixo limite de velocidade. Coutinho rebateu dizendo que o sobreaquecimento ocorreu enquanto a demanda se expandia a um ritmo anual de 10%, o que já não está ocorrendo.

Uma das principais críticas de Hausmann é o fato de que o superávit primário não aumenta quando a economia cresce mais rápido. Dessa forma, os gastos crescem junto com a arrecadação, levando a uma política fiscal frouxa, e com investimento público muito baixo. Assim, a inflação sobe e o Banco Central é obrigado a praticar juros altíssimos, o que atrai capital, valoriza o real, e leva a medidas de controle de capital de baixa eficácia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.