Falta de milho é "desesperadora", diz empresário

O presidente da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), Paulo Vellinho, classificou, nesta sexta-feira, de "desesperadora" a situação criada pela escassez de milho e a conseqüente alta do preço, que já atinge R$ 20,00 a saca no Rio Grande do Sul, somada ao aumento de preço do farelo de soja."Isto inviabiliza a produção de carne de frango, que tem os seus principais insumos dolarizados e é vendida no mercado interno abaixo dos custos de produção", afirmou Vellinho, em nota divulgada pela entidade.Para o dirigente, "situações dramáticas como esta exigem medidas heróicas", a fim de evitar a falência do setor. Entre suas propostas para atenuar o problema, a curto prazo, ele sugeriu a aplicação do Imposto de Exportação sobre as vendas de milho e soja em grão para o mercado externo, visando melhorar a oferta para a avicultura, a suinocultura e a pecuária leiteira.Outra hipótese seria a aplicação da lei delegada número 4, que prevê o confisco de estoques especulativos. Vellinho defendeu ainda a necessidade de concessão de financiamento "extraordinário" para os setores atingidos, que serviria para a aquisição de insumos, com juros de 8,75% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.