Falta de peças pode fazer Chrysler não reabrir todas as fábricas

Fornecedora não informouse irá continuar a entregar as peças usadas na montagem da Chrysler, Dodge e Jeep

Daniele Chaves, Agência Estado

25 de junho de 2009 | 18h04

A Chrysler Group alertou que uma disputa com um fornecedor de autopeças pode forçar a montadora a abandonar os planos de retomar a produção em todas as suas fábricas nos EUA na segunda-feira. A montadora abriu um processo para forçar a TRW Automotive a honrar seus contratos e entregar uma variedade de peças - incluindo travas para assentos infantis, air bags e colunas de direção. As peças são usadas na montagem de veículos das marcas Chrysler, Dodge e Jeep.

 

Até ontem, a TRW não havia notificado a Chrysler de que iria continuar entregando as peças, o que levou a montadora a abrir o processo. "A Chrysler será incapaz de operar muitas de suas fábricas, levando centenas de pessoas a perderem o emprego e gerando para a companhia substanciais perdas econômicas", afirmou a montadora no processo. "Pelas mesmas razões, o interesse público favorece fortemente a emissão de uma ordem judicial."

 

O caso destaca a importância dos fornecedores de peças para a viabilidade das montadoras. A possibilidade de interrupções no fluxo de peças deverá aumentar, à medida que mais fabricantes de autopeças pedirem concordata nos EUA, em meio à contínua queda da demanda.

 

A Chrysler tem sido mais agressiva com seus fornecedores do que as outras montadoras. No ano passado, a companhia cancelou contratos com a Plastech Engineered Products por causa de preocupações com a situação financeira da empresa. Logo depois, a Plastech pediu concordata e foi posteriormente liquidada. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.