Falta de qualificação de mão de obra afeta 89% da construção civil, diz CNI

Estudo mostra ainda que 61% das empresas ouvidas dizem que o problema afeta a busca pela eficiência e a redução de desperdícios 

Edna Simão, da Agência Estado,

28 de abril de 2011 | 14h56

Nove em cada dez empresas da construção civil sofrem com a falta de trabalhadores qualificados no setor, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira, 28, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com a Sondagem Especial da Construção Civil, que ouviu 385 empresas entre os dias 3 e 20 de janeiro, 89% das companhias enfrentam dificuldades por conta da falta de trabalhador qualificado.

O estudo mostra ainda que 61% das empresas da construção civil que enfrentam falta de trabalhador qualificado dizem que o problema afeta a busca pela eficiência e a redução de desperdícios. Além disso, 56% das companhias afirmam que a alta rotatividade dos trabalhadores é uma das principais dificuldades para qualificá-los.

De acordo com a sondagem, 94% das empresas da construção civil que sofrem com a falta de profissional qualificado têm dificuldades para encontrar profissionais básicos ligados à obra, como pedreiros e serventes. No entanto, a pesquisa destaca que 64% das empresas que enfrentam dificuldades adotam a capacitação na própria empresa como uma das formas para lidar com o problema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.