Falta informação a empresas sobre operações de microcrédito

Apesar do esforço do governo para incentivar as operações de microcrédito, 74% das 495 mil micro e pequenas empresas formais localizadas em São Paulo nunca ouviram falar ou estão pouco informadas sobre as alternativas desse tipo de crédito existentes atualmente no mercado. O número consta de uma pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e apresentado pelo diretor da instituição, Carlos Alberto dos Santos, durante o III Seminário do Banco Central sobre Microfinanças realizados em Goiânia.Segundo o diretor, isso mostra que se o governo "não for criativo e induzir o aumento da oferta e a divulgação de informações, a realidade atual não irá mudar." O levantamento do Sebrae mostra ainda que 61% das empresas consultadas nunca tomaram empréstimo junto a bancos e metade dos entrevistados não está disposto a tomar crédito mesmo que ele seja barato e de fácil acesso. "A razão principal para isso é que as empresas não gostam de tomar empréstimos. Isso revela uma desconfiança em relação aos bancos e incerteza sobre a condição de efetuar o pagamento", explicou Santos.Entre as empresas pesquisadas que conhecem as alternativas de microcrédito disponíveis no mercado, 88% nunca tentaram obter empréstimos pelas regras do programa do governo, lançado há um ano. No entanto, o diretor do Sebrae ressalta que há um grande mercado potencial no Brasil para operações de valores menores. Metade das empresas que foram ouvidas no levantamento do Sebrae disseram que precisam de empréstimos de até R$ 10 mil e a principal finalidade desse tipo de operação é para compra de mercadorias e insumos. Outras 36% disseram que precisariam dos recursos para compara de máquinas e equipamentos, 35% para reforma, 21% para quitar dívidas e 7% para pagamento de impostos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.