Falta infraestrutura nos dois lados da cidade

A maior crítica dos moradores de Barcarena é a falta de infraestrutura, seja no município-sede ou na Vila dos Cabanos.

O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2011 | 03h08

Para muitos moradores, com a arrecadação da cidade, royalties e as transferências do governo federal, seria possível fazer muitos investimentos para melhorar a vida da população.

"Barcarena é uma fraude. Não tem água encanada, rede de esgoto nem mão de obra qualificada", diz o empresário João Vaz, de 66 anos, dono de três lojas: uma de móveis, outra de eletroeletrônicos e uma bicicletas.

Mineiro, João Vaz chegou em Barcarena em 1997 com apenas R$ 16 mil no bolso e uma caminhonete. Apesar da resistência da população local, aos poucos foi se tornando popular e montou a primeira loja, no município-sede.

De lá para cá, Vaz só fez aumentar suas posses. Nos últimos tempos, influenciado pela precariedade da gestão pública na cidade, acabou se envolvendo na política, mas garante que não será candidato a nada.

Alguns empresários da cidade defendem uma renovação na política de Barcarena. O atual prefeito, João Carlos Dias (PP), não é dos mais populares. Segundo os próprios moradores, ele passa mais tempo viajando ou em Belém do que na cidade.

Quando esteve em Barcarena, a reportagem do Estado foi aconselhada a procurar o prefeito na capital paraense, na sede da associação dos municípios do Pará. Ele é representante da entidade.

Na semana anterior, a reportagem tentou novamente falar com o administrador, mas ele também não estava na cidade. / R.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.