Famílias americanas ficam US$ 1,33 trilhão mais pobres

Segundo dados do Federal Reserve, riqueza líquida das famílias atingiu o menor nível desde o 3º tri de 2004

Associated Press,

11 de junho de 2009 | 14h57

O Federal Reserve Bank, o banco central dos Estados Unidos, divulgou nesta quinta-feira, 11, que a riqueza líquida das famílias diminuiu para US$ 50,38 trilhões no trimestre de janeiro a março, o menor nível desde o terceiro trimestre de 2004.    

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

As famílias norte-americanas perderam suas riquezas nos primeiros três meses do ano, após a recessão corroer o valor de seus portfólio de investimentos e derrubar os preços dos imóveis. O número do primeiro trimestre representou um declínio de 2,6%, ou US$ 1,33 trilhão, em relação à riqueza apresentada pelas famílias no último trimestre de 2008.

A riqueza líquida representa o total de ativos, como casas e contas de depósito, menos as obrigações como hipotecas e endividamento em cartões de crédito.

O estrago para a riqueza das famílias veio, principalmente, da queda dos mercados acionários. O valor da participação dos americanos em ações caiu 5,8% ante o final do último trimestre de 2008. Outro baque teve origem nos preços cadentes de imóveis. O valor do patrimônio em imóveis caiu 2,4%.

Durante o ponto mais profundo da recessão no período de outubro a dezembro de 2008, a riqueza líquida dos norte-americanos diminuiu 8,6%, de acordo com dados revisados.

Tudo o que sabemos sobre:
crise financeiraEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.