Famílias com maior renda afetadas pela inflação

Em março, a principal alta no Índice do Custo de Vida (ICV) do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) foi alta do grupo alimentação. Ainda assim, foram as famílias do estrato 3, com renda média de R$ 2.792,90 as mais afetadas pela inflação, com um índice de 0,49%. Para as famílias mais pobres (estrato 1), que ganham até R$ 377,49 e cujos gastos com alimentação consomem a maior parte dos ganhos, a taxa de inflação foi de 0,46%. Para as famílias incluídas nos estrato 2, com renda média mensal de R$ 934,10, o Dieese apurou uma taxa de inflação de 0,47%. Os gastos com alimentação para as famílias do estrato 1 representaram 0,41 ponto porcentual da inflação total de 0,46%. No estrato 2, a alimentação fechou como 0,40 ponto porcentual e, no estrato 3, o equivalente a 0,26 ponto porcentual. No entanto, a taxa dos mais pobres foi menor porque os aumentos da Saúde e Habitação (0,06 ponto porcentual) foi menos significativo. Em contrapartida, o estrato 3 sentiu menos (0,26 ponto porcentual do índice) o impacto da alta dos alimentos, mas foi mais afetado pelo aumento de Saúde e Habitação (0,15 ponto porcentual do índice).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.