Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Famílias de baixa renda reduzem intenção de consumo

As famílias de renda mais baixa puxaram a queda na intenção de consumo dos brasileiros na passagem de fevereiro para março, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) caiu 4,2%, para 133,6 pontos, entre os que recebem até dez salários mínimos. A média nacional resultou num recuo de 3,8% no período.

Daniela Amorim, da Agência Estado,

20 de março de 2012 | 12h47

Já a confiança das famílias com renda acima de dez salários mínimos apresentou freio menor, de -0,8%, para o patamar de 148,7 pontos. "No início do ano, há um comprometimento maior da renda das famílias com despesas e tributos. A família com renda de até dez salários mínimos sente muito mais esse comprometimento do que a família com renda maior", explicou Bruno Fernandes, economista da CNC.

O compromisso com pagamento de despesas extras no início do ano não se refletiu na intenção de consumo em janeiro e fevereiro em razão do aumento do salário mínimo, contou Fernandes.

O economista acredita ainda que a queda de março tem caráter pontual e que o consumidor não vai demorar a retomar o apetite pelas compras, à medida que a atividade econômica mostrar sinais de reaquecimento e que aumentar o ritmo de concessões de crédito. "A nossa expectativa é que a intenção de consumo das famílias ganhe mais força a partir do segundo semestre", previu o economista da CNC.

 

Tudo o que sabemos sobre:
consumoCNCfamílias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.