Famílias endividadas aumenta para 62,7% em maio, diz CNC

O porcentual de famílias endividadas aumentou para 62,7% em maio, contra 62,3% no mês de abril, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), nesta quinta-feira, 29, por meio da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic). Apesar da alta, a parcela ainda é inferior à registrada em maio do ano passado (64,3%).

IDIANA TOMAZELLI, Agencia Estado

29 de maio de 2014 | 10h41

A despeito da elevação no endividamento, o porcentual das famílias com contas em atraso caiu a 20,9% em maio de 2014. Esta fatia era de 21,0% em abril e de 21,6% em maio de 2013. Também houve redução no número de famílias que não terão condições de pagar as suas dívidas e que, portanto, permaneceriam inadimplentes. Essa realidade foi verificada em 6,8% das famílias neste mês, contra 6,9% em abril e 7,5% em maio do ano passado.

Cautela

Segundo a CNC, os brasileiros estão mais cautelosos na hora de contratar ou renovar empréstimos e financiamentos devido à alta do custo do crédito. "Juros mais altos e ganhos de renda mais modestos levam a condições menos favoráveis para o endividamento", informa a CNC, em nota.

Mesmo diante de um cenário mais favorável nos dados gerais, mais famílias passaram a se declarar "muito endividadas" em maio - a única categoria entre os níveis de endividamento a registrar aumento. Neste mês, segundo a CNC, 12,2% das famílias se disseram muito endividadas, contra 11,8% em abril. Mesmo assim, o porcentual é menor do que em maio de 2013 (12,5%). Por outro lado, a parcela dos que afirmaram não ter dívidas caiu a 37,0%, de 37,5% em abril.

A Peic é apurada mensalmente pela CNC desde 2010 e investiga dívidas com o cartão de crédito, cheque especial, cheque pré-datado, crédito pessoal ou consignado, carnês e financiamentos de carro ou imóvel. Os dados são coletados em todas as capitais dos Estados e no Distrito Federal com cerca de 18 mil consumidores.

Tudo o que sabemos sobre:
endividamentofamíliasCNCmaio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.