Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Famílias endividadas recuam de 53% para 48% em SP

A porcentagem de famílias endividadas na Grande de São Paulo caiu para 48,3% em abril, ante 52,8% em março, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada ontem pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio). De acordo com a entidade, a queda no endividamento é resultado da confiança do consumidor e do aumento dos postos de trabalho.

, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2011 | 00h00

A pesquisa classifica como endividada a família que tem dívidas a pagar - e não as que possuem contas em atraso. Cobranças regulares, como as de água, luz e telefone, não são consideradas. O cálculo leva em conta apenas dívidas extraordinárias, como as de carnês e as de financiamentos de automóveis. No levantamento, foram ouvidas 2,2 mil famílias.

Em número absolutos, a Grande São Paulo soma 1,73 milhão de famílias endividas em abril - 160 mil menos que em março. Do total, 34,9% afirmam que estão comprometidos com dívidas por mais de um ano, 20,3% com compromissos de três a seis meses e 23,7% por dívidas de menos de três meses. Entre os casos mais sérios, 15,7% comprometeram mais de 50% da renda familiar.

O principal meio utilizado para adquirir essas dívidas continua sendo o cartão de crédito: 70,4% das famílias endividadas têm algum débito devido às compras pagas dessa maneira. A participação dos carnês ficou em 20,1% em abril. A terceira forma mais comum de endividamento é o crédito pessoal, com 11,5%.

Inadimplentes. Além da redução no total de famílias endividadas, a pesquisa registrou retração no número de famílias com contas atrasadas. O porcentual de inadimplentes caiu de 17,2% em março para 14,3% neste mês. O índice é o menor para o mês de abril desde 2004, quando a pesquisa teve início.

Do mesmo modo, o total de famílias que acreditam que não terão condição de pagar total ou parcialmente suas dívidas também caiu em abril. Somente 5,1% das famílias pesquisadas se encontram nessa situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.