finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

FAO aprova reforma de US$ 42,6 milhões para crescimento

Para direção, plano vai permitir ao órgão da ONU se equipar melhor para enfrentar crise e redução da pobreza

Efe,

22 de novembro de 2008 | 18h58

Uma conferência especial dos países-membros da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) aprovou neste sábado, 22, um plano no valor de US$ 42,6 milhões a fim de permitir uma "reforma com crescimento" nos próximos três anos. A declaração emitida após a reunião destes dias da conferência da FAO, que reúne 191 países-membros, explica que cerca da metade dos fundos, US$ 21,8 milhões "serão utilizados no próximo ano para conseguir uma melhor administração da FAO". O plano "permitirá à FAO se equipar melhor para enfrentar os desafios cruciais na redução da fome e da pobreza, na alta dos preços dos alimentos, na mudança climática, na bioenergia e no impacto da atual crise financeira sobre a agricultura". "Este plano marca um caminho ambicioso para a renovação da FAO", disse o diretor-geral, Jacques Diouf, que acrescentou que se produzirá "uma revisão radical" da forma como esta organização da ONU trabalha. Isso incluirá reformar os procedimentos financeiros e reorganizar as estruturas na sede central e no terreno, o que trará "mudanças na hierarquia e na gestão dos recursos humanos", acrescentou Diouf.

Tudo o que sabemos sobre:
FAOcriseONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.