FAO: crise pode restringir ajuda a países emergentes

A crise global de crédito pode deixar os países em desenvolvimento vulneráveis a cortes na ajuda governamental, alertou hoje a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês).Apesar da esperada safra mundial recorde de grãos em 2008, a FAO teme que a turbulência nos mercados financeiros possa dificultar o financiamento das indústrias agrícolas nos países em desenvolvimento. "A grande incerteza que envolve agora os mercados internacionais e a ameaça de uma recessão global podem induzir os países ao protecionismo e a uma reavaliação de seus compromissos com a ajuda ao desenvolvimento internacional", afirmou o diretor-geral da FAO, Jacques Diouf."Empréstimos bancários, ajuda oficial para o desenvolvimento e investimento estrangeiro direto (IED) podem estar comprometidos por conta do aprofundamento da crise financeira", disse ele.A FAO estima que 36 países irão contar com assistência externa para alimentar suas populações.Os mercados de matérias-primas (commodities) vêm registrando queda nos últimos meses, incluindo o de trigo e de milho, cujos preços caíram pela metade pressionados pela expectativa de excedente mundial e temores de que uma recessão diminua a demanda por commodities. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.