FAO: inflação de cereais em países pobres deve crescer

Se os líderes mundiais estão preocupados com o impacto da inflação sobre a estabilidade mundial, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) alerta que a situação pode piorar ainda mais nos próximos meses. Dados divulgados hoje pela FAO apontam que apenas a conta de cereais para os países mais pobres poderá aumentar em 56% neste ano, em comparação ao ano anterior. Entre 2006 e 2007, o total pago pelos países em desenvolvimento pelos cereais aumentou em 37%. No geral, a alta nos preços dos alimentos já está deixando 37 países em crise. O aumento é conseqüência de uma alta nos preços dos cereais, amplificada pela inflação nos preços do petróleo. Só na África, o valor das importações subiu em 74% na compra de cereais. Segundo a FAO, a maior demanda pelo produto está gerando uma queda acentuada nos estoques de cereais, mesmo nos países exportadores. Vários produtores ainda colocaram taxas de exportação para tentar reduzir os preços internos, mas acabaram gerando uma alta ainda maior nos mercados internacionais. Até agora, a ONU já identificou crises e protestos em países como o Egito, Camarões, Costa do Marfim, Senegal, Burkina Faso, Etiópia, Indonésia, Madagascar, Filipinas, Haiti, Paquistão e Tailândia. Em alguns desses países, os governos tiveram de convocar o exército para lidar com os protestos contra o aumento nos preços dos alimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.