coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Fast track sofre revés na Câmara

A administraçãoBush sofreu um novo revés nesta quinta-feira no debate do Congresso sobre a Autoridade de Promoção Comercial (TPA) ou ?fast track?, a leique dá ao Executivo americano o mandato para negociar acordos comerciais como a Área de Livre Comércio das Américas(ALCA).Diante da forte oposição dos democratas e da falta de apoio entre os próprios conservadores, os líderes da maioria republicanana Câmara adiaram a votação de uma regra regimental que estabelece os parâmetros e objetivos da negociação que fará com oSenado, em comissão mista, para conciliar as diferenças entre as versões dos projetos de lei da TPA adotados pelas duas casasdo Congresso.A decisão dos líderes surpreendeu porque veio depois de semanas de negociações de bastidores, que pareciam tercolocado o projeto da TPA nos trilhos da aprovação. Eles disseram que tentarão novamente, na próxima semana.Mas o líder da minoria democrata, Dick Gephardt, disse que pediu a todos os deputados de sua bancada que votem contra oprojeto de resolução, inclusive os dez que votaram a favor do projeto de lei da TPA em dezembro passado e garantiram sua aprovaçãona Câmara por apenas um voto de diferença. Uma oposição maciça dos democratas pode determinar o fracasso da legislação.No mínimo, o revés desta quinta significa que a negociação entre a Câmara e o Senado ficou para o mês que vem, e que o tempo,agora, trabalhará contra a aprovação. O Congresso entra em recesso no início de agosto. Como este é um ano deeleições legislativas e a liberalização do comércio é um tema impopular, os líderes já indicaram que o TPA morrerá, se não estiveraprovado até, o mais tardar, no dia 9 de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.