FAT aprova orçamento recorde de R$ 17,2 bilhões

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou ontem o maior orçamento da sua história: R$ 17,215 bilhões, que serão aplicados este ano em 14 projetos de criação de emprego e renda. Em 2003 e 2004, os recursos do FAT ficaram na casa dos R$ 10 bilhões. Dos recursos aprovados ontem, R$ 5,9 bilhões irão para um novo programa, chamado FAT Infra-Estrutura. É o maior orçamento individual do FAT deste ano e foi criado a pedido do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).O banco já recebe 40% da arrecadação do FAT. No entanto, alegou que faltavam recursos para atender a todos os pedidos de financiamento apresentados nessa área. Os recursos atenderão a programas de energia, especialmente hidrelétricas; logística (rodovias, ferrovias, portos e transporte urbano); saneamento e telecomunicações.O Codefat também aprovou recursos da ordem de R$ 1 bilhão para socorrer os agricultores dos municípios em estado de calamidade pública que estão tendo dificuldade para quitar seus débitos junto a fornecedores e o Banco do Brasil. Os agricultores vão poder pegar um dinheiro mais barato (taxa de 8,75% ao ano e prazo de pagamento de 24 meses) e quitar a dívida mais cara e de curto prazo. Serão beneficiados, principalmente, os produtores rurais prejudicados pela seca que afetou sobretudo a região Sul do País.O FAT também vai destinar dinheiro para financiar a aquisição de computadores do programa PC Conectado, dirigido a pessoas físicas, no âmbito do Programa Brasileiro de Inclusão Digital. O PC Conectado pretende oferecer computadores com acesso à Internet que custarão até R$ 1.400. A maior parte dos recursos, porém, será aplicada em programas já existentes, como o de Geração de Emprego e Renda (Proger) urbano e rural e o de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.