Fatia da indústria no emprego é a menor em nove anos

A indústria amargou em novembro a menor fatia dos últimos nove anos no total de pessoas empregadas nas seis principais regiões metropolitanas. Apenas 16% da população ocupada trabalhava no setor industrial no mês passado, porcentual inferior ao de outubro deste ano (16,3%) e de novembro de 2010 (16,6%).

RIO, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2011 | 03h03

Na comparação com o mês anterior, 37 mil pessoas deixaram de trabalhar na indústria em novembro. Frente a igual mês de 2010, o corte é maior, com 53 mil pessoas a menos no setor.

Para o gerente da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), Cimar Azeredo, o desempenho da indústria não pode ser analisado isoladamente dos outros sete ramos de atividade pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "Pessoas que estariam trabalhando no setor industrial estão se deslocando para outras áreas, como comércio ou serviços prestados às empresas", afirmou.

O comércio continuou como o setor que mais emprega nas seis principais regiões metropolitanas do País, com 18,6% da população ocupada em novembro. Outros serviços (que abrangem alojamento e limpeza urbana) e serviços prestados às empresas seguem o varejo, com fatias respectivas de 16,4% e de 17,5%.

A perda de dinamismo na participação da indústria não é novidade. A fatia tem caído, para meses de novembro, desde 2007. "O setor industrial tem convivido com fenômenos como a mecanização", disse Azeredo, lembrando que alguns postos de trabalho industriais podem ser substituídos por robôs.

Mas, para o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), o quadro ruim reflete o atual momento negativo da indústria brasileira. Sem crescer desde agosto do ano passado, o número de vagas na indústria começou a mostrar trajetória declinante em setembro.

Um dos mercados que mais têm sentido o baque é o de São Paulo, maior parque industrial do País. Nas comparações com iguais meses no ano passado, o emprego industrial em São Paulo tem apresentado taxas negativas desde abril deste ano.

Segundo o Iedi, desempenhos razoáveis nas indústrias das regiões Norte, Centro-Oeste e Sul têm equilibrado, no desempenho nacional, o ambiente ruim do emprego do setor paulista industrial até o momento. / A.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.