Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Fator previdenciário 'criativo'

Os brasileiros foram surpreendidos pelo anúncio do governo de uma nova regra para aposentadorias. Como numa espécie de "confissão" de que se trata de uma decisão precária, o ministro da Previdência e Assistência Social assinalou que a regra deve ser encarada como uma "solução momentânea". Com a nova medida, agrega-se mais um valor nesse cálculo de 85/95, que vai aumentando de forma progressiva anualmente.

PROFESSOR DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E PESQUISADOR ASSOCIADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTABILIDADE DA UnB, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2015 | 02h06

As avaliações dos resultados das ações e medidas adotadas nos últimos anos na busca de se alcançar os objetivos de equilíbrio atuarial e financeiro da previdência social preconizados pela Constituição são frustrantes. Constata-se que a mudança na estrutura etária da população, na qual está se abrindo uma janela de oportunidade demográfica está sendo perdida, por incompetência, má gestão pública, e a prevalência de interesses eleitoreiros e da corrupção. Sabe-se que o dividendo demográfico, caso não seja aproveitado de forma adequada, trará elevados prejuízos para a sociedade nas próximas décadas.

Pode-se concluir, assim, que o remendo "criativo" proposto para substituir a fórmula 85/95, em nada vai mudar o cenário preocupante da desorganizada Previdência. Essa medida "criativa" do governo Dilma vem se juntar a inúmeras outras adotadas no passado, todas com o mesmo objetivo: empurrar com a "barriga" a solução do grave problema da previdência social. O que o Brasil necessita é de uma profunda "reforma da previdência social", que a torne viável do ponto de vista atuarial e financeiro.

PROFESSOR DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E PESQUISADOR ASSOCIADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTABILIDADE DA UnB

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.