Fator Relevante

Estrela lança jogos com anunciantes reais

Clayton Netz, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2010 | 00h00

A fabricante de brinquedos Estrela está investindo na modernização da sua linha de jogos de tabuleiro para manter a atratividade do produto. O mais famoso deles, o Banco Imobiliário, líder nacional em vendas na categoria, está ganhando novas versões. Em junho, chega às lojas o Super Banco Imobiliário, que traz entre as principais novidades a presença de "anunciantes" que existem na vida real. Empresas como Vivo, Itaú, TAM Viagens, Nivea, Ipiranga, Fiat e Mastercard aparecem como parceiras da Estrela no novo jogo, contribuindo com uma cota financeira cada. No Super Banco, o jogador negocia com cartão de crédito, operado por uma máquina da Mastercard movida a bateria, que realiza débito e crédito, conforme o negócio feito pelo jogador. "A parceria aumenta a visibilidade das empresas e leva às crianças uma realidade de negócios mais próxima dos tempos atuais", afirma Carlos Tilkian, presidente da Estrela.

Outra novidade para o meio do ano é um banco imobiliário adaptado para o mercado futebolístico. Trata-se de uma versão que vai homenagear o Sport Club Corinthians, no ano do seu centenário. No jogo, em vez de negociar propriedades e empresas, o participante vai comprar e vender jogadores de futebol. "O Corinthians quis ligar a sua marca a um produto tradicional do mercado", diz Tilkian. O banco imobiliário está na praça desde 1944.

A ideia de reinventar jogos tradicionais e envolver empresas no negócio começou há dois anos. Desde então, a Estrela já lançou o Banco Imobiliário Sustentável, em parceria com a Braskem, que tem peças de plástico feitas de material biodegradável, produzido pela companhia petroquímica usando a cana de açúcar. Na sequência, junto com o grupo de logística DHL, desenvolveu o Transport, jogo que simula o universo do comércio exterior, envolvendo processos de carregamento, cabotagem, transportes , entre outros. "O jogo atraiu até estudantes universitários", diz Tilkian. A Faculdade Metodista, de São Paulo, usou o Transport em sala de aula.

Com essas e outras iniciativas, a Estrela tenta driblar a sazonalidade dos negócios do setor. Três quartos das vendas dos fabricantes de brinquedos ocorrem no Dia das Crianças e no Natal. "No primeiro semestre, temos de inventar um jeito de movimentar os negócios", diz Tilkian. A expectativa da Estrela para este ano é aumentar em 15% o seu faturamento, o dobro da estimativa do setor, que projeta crescimento de 8% em 2010. O balanço de 2009 ainda não foi divulgado - em 2008 a Estrela faturou R$ 108 milhões.

"Não acredito que o papel vá desaparecer. Acredito que o valor do papel vai mudar e a

Xerox está trabalhando na mudança desse valor"

Ursula Burns

CEO DA XEROX, EM ENTREVISTA À "FORTUNE"

LOGÍSTICA

Cosan investe US$ 100 mi em vagões para açúcar

Braço do grupo Cosan, a Rumo Logística está recebendo 120 vagões para o transporte de açúcar - o primeiro lote de um total de 729 unidades, no valor de US$ 100 milhões. Com capacidade 25% superior a outros modelos, os vagões comportam até 100 toneladas de açúcar cada. Além disso, o descarregamento do produto é realizado em apenas dois minutos, o que representa uma redução de 97% em relação ao tempo gasto em modelos mais antigos, que necessitam de até 90 minutos para a execução do processo de descarga.

MERCADO ELETRÔNICO

Varejo, química e veículos aquecem B2B

O desempenho da Mercado Eletrônico, líder em B2B - transações entre empresas pela internet - comprova o forte aquecimento da economia neste começo de ano. No primeiro trimestre, a empresa, que tem entre os seus clientes Pão de Açúcar, Oi, ALL, Nestlé, Philips e Cielo, movimentou R$ 18 bilhões, 36% do total da receita gerada em 2009 (R$ 50 bilhões). "O resultado reflete, especialmente, o aquecimento dos setores químico, automobilístico e de varejo", diz Eduardo Nader, presidente da empresa. A Mercado Eletrônico projeta aumentar em 30% sua base de clientes e em 40% o volume de transações eletrônicas neste ano. Ao mesmo tempo, estima elevar em 50% seu faturamento, que chegou a R$ 30 milhões no ano passado.

MARCAS

Petrobrás e Bradesco entre as 100 mais valiosas

Duas empresas brasileiras entraram no ranking das 100 marcas mais valiosas do mundo, elaborado pela consultoria americana Millward Brown. A Petrobrás figurou pela primeira vez na lista, na 73.ª posição. Já o Bradesco, que aparece pela segunda vez consecutiva, ficou no 98.º lugar, mesma posição que obteve em 2009. O ranking é encabeçado pelo Google, IBM e Apple (veja a tabela abaixo). A soma das dez mais valiosas equivale a US$ 693 bilhões.

PUBLICIDADE

Mulheres e crianças viram alvo na Copa

Na Copa do Mundo da África do Sul, os homens não serão o único alvo das campanhas publicitárias. Segundo a Enfoque Pesquisa, de São Paulo, houve um aumento do interesse de mulheres e crianças pelo esporte. "Elas passaram a desempenhar um papel de protagonistas, formando um público potencial significativo para os anunciantes", diz Zilda Knoploch, da Enfoque. Segundo a Associação Brasileira das Agências de Publicidade, a publicidade do mercado da bola deve chegar a R$ 4 bilhões durante a Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.