Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Fator: taxa dessazonalizada de desemprego sobe a 6,1%

A taxa dessazonalizada de desemprego atingiu 6,1% em setembro, de acordo com os cálculos realizados pelo Banco Fator, após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informar nesta quinta-feira que a taxa, sem a retirada dos efeitos sazonais, atingiu 6% da População Economicamente Ativa (PEA) no mês passado, repetindo o número de agosto. Com o resultado de 6,1% obtido pelo Fator, a taxa ajustada sazonalmente ficou acima da observada em agosto, de 6%.

FLAVIO LEONEL, Agencia Estado

28 de outubro de 2011 | 08h16

Os números dessazonalizados não são divulgados pelo IBGE. Costumam ser calculados pelas instituições do mercado financeiro, podendo alcançar níveis diferentes, dependendo da conta de cada economista.

A equipe do Banco Fator, liderada pelo economista-chefe, José Francisco de Lima Gonçalves, trabalhava com uma previsão de taxa de desemprego de 5,7%, no cálculo sem o ajuste sazonal. Segundo os analistas do banco, apesar de alcançar novo mínimo histórico para o mês, "sinais de desaceleração da atividade foram reforçados" com o resultado anunciado.

"Mais uma vez, a taxa de desemprego continuou menor em relação ao mesmo período do ano passado (6,2% em setembro de 2010), porém em um ritmo decrescente: em agosto a taxa era 0,7 ponto porcentual inferior em relação à vista no mesmo mês do ano anterior, e agora em setembro ficou 0,2 ponto porcentual inferior", destacaram os economistas do Fator, em texto à imprensa que avaliou os números da pesquisa divulgada hoje pelo IBGE.

Tudo o que sabemos sobre:
desempregotaxa dessazonalizada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.