Abihpec
Abihpec

Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Faturamento com álcool gel deve ser dez vezes maior que em 2019

Segundo João Carlos Basilio, presidente executivo da Abihpec, falta de álcool gel deve se normalizar no próximo mês

Entrevista com

João Carlos Basilio, presidente executivo da Abihpec

Cleide Silva, O Estado de S. Paulo

20 de abril de 2020 | 05h00

Produto que desde o início da pandemia da Covid-19 desapareceu das prateleiras, as vendas de álcool gel devem registrar este ano faturamento dez vezes superior ao de 2019, chegando a R$ 1 bilhão, segundo projeções da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal. A escassez levou o setor a acelerar a produção e a desenvolver substitutos à sua principal matéria-prima, o carbopol, hoje importada.

Como está a demanda por álcool gel?

Cresceu abruptamente no mundo todo. No Brasil, a estimativa de faturamento de vendas em 2020 poderá superar em até dez vezes o registrado em 2019, saindo de R$ 100 milhões para R$ 1 bilhão. Acompanhamos o mercado para ver se a estimativa se confirma. Só em fevereiro, quando começou a corrida pelo produto, houve alta de 260% nas vendas em relação ao ano passado, chegando a 100 toneladas.

Há falta de carbopol, produto que transforma o álcool em gel?

Sim. Existe uma preocupação da Abihpec e das indústrias do setor com a escassez dos carbômeros, que são polímeros acrílicos hidrossolúveis utilizados como espessantes.

Como está a importação do produto?

A concorrência é enorme, pois os carbômeros não vinham sendo fabricados no Brasil e estão em falta no mundo todo. Mas as indústrias do setor trabalham em parceria com seus fornecedores no desenvolvimento de ingredientes alternativos, que devem chegar em breve ao mercado. Vale ressaltar que em 18 de março o governo zerou o imposto de importação sobre mercadorias usadas no combate ao coronavírus. A lista inclui 33 produtos, entre eles álcool etílico, gel antisséptico e ingredientes com a função de dar textura ao álcool em gel.

Como era antes da pandemia?

O mercado de álcool gel era muito pequeno. Até 2019 representava apenas 0,1% das vendas de produtos da categoria de higiene pessoal.

Ainda há falta no mercado?

Nossa estimativa é que nos próximos 35 dias o mercado esteja normalizado. Estamos trabalhando com fabricantes do produto acabado e de ingredientes e insumos para recalcular a demanda.

Quem são os maiores fabricantes?

Antes da pandemia o álcool gel era fabricado por indústrias de médio e pequeno porte. Com a mudança recente do mercado, grandes fabricantes de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos promoveram ajustes nas unidades fabris para produzir tanto para doação como para venda.
Tudo o que sabemos sobre:
álcoolimportaçãocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.