Faturamento com exportação de calçado cresce 14% em 2005

O faturamento com as exportações brasileiras de calçados cresceu 18% em fevereiro e foi 14% maior no primeiro bimestre de 2005, se comparado aos mesmos períodos do ano passado. No mês passado, o volume exportado movimentou US$ 178 milhões, ante US$ 156 milhões em fevereiro de 2004. Já a soma das vendas externas no primeiro bimestre deste 2005 é de US$ 329 milhões, ante US$ 288 milhões em igual período de 2004. Os dados foram divulgados hoje pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados).Segundo a entidade, o desempenho positivo no comércio externo ainda é decorrente dos negócios efetuados durante o segundo semestre do ano passado - quando a moeda americana era cotada em R$ 3,00 - cujas entregas são feitas meses depois. "O setor calçadista está cumprindo suas metas perante o governo para aumentar as exportações. Nossa preocupação a partir de agora é com os novos pedidos, pois com o câmbio no valor atual dificilmente fecharemos o ano com o mesmo desempenho de 2004", aponta Heitor Klein, diretor-executivo da Abicalçados.Em 2004 a indústria de calçados contabilizou uma receita de US$ 1,8 bilhão, 17% superior a 2003. Klein lembra que a desvalorização do dólar frente ao real prejudicou negócios durante a Feira de Las Vegas, o principal evento de venda de calçados para o Hemisfério Norte, realizada no mês passado.Com o dólar desvalorizado, os calçadistas tiveram que aumentar o preço de venda em dólar entre 10% a 15%, prática criticada pelos importadores, principalmente os norte-americanos. "A reação destes compradores com os negócios atuais nós iremos sentir a partir de abril, quando estas encomendas serão entregues", disse Klein.O executivo teme que se repita no setor calçadista a crise da década passada, quando, a partir de 1995, sentiu os efeitos da paridade cambial adotada no Plano Real. Naquele período, muitas empresas fecharam e as exportações caíram drasticamente, situação que perdurou até 1999.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.