Faturamento com usina deve ser de R$ 32 bi em 30 anos

A expectativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é de que o faturamento da usina Santo Antônio, no rio Madeira, leiloada hoje, seja de R$ 32,18 bilhões em 30 anos. Esse valor foi obtido com a multiplicação da quantidade da energia que deverá ser gerada anualmente pela usina pelos trinta anos de duração do contrato e pelo preço de venda do MWh definido hoje no leilão, de R$ 78,87. LicençaO Consórcio Madeira Energia, vencedor do leilão, pretende agilizar a obtenção da licença de instalação da usina, para iniciar as obras "o mais rápido possível", disse hoje o diretor da Odebrecht, Irineu Meireles, durante entrevista coletiva à imprensa na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O Grupo Odebrecht lidera o consórcio vencedor, junto com a estatal Furnas. Meireles não quis prever uma data, mas disse que a licença seja obtida no próximo ano. O diretor da Odebrecht disse que a hidrelétrica de Santo Antonio vai gerar de 5 mil a 6 mil empregos diretos. Ele ressaltou ainda que na construção da usina "o meio ambiente vai ser absolutamente respeitado". O diretor da Odebrecht disse que durante os estudos de impacto ambiental, realizados pela empresa, em parceria com a Furnas, foram feitas mais de 60 reuniões com a comunidade. "Nunca se fez um estudo ambiental com a profundidade com que foram feitos esses estudos", afirmou.JirauO ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, disse esta tarde que o preço vencedor do leilão da hidrelétrica de Santo Antonio vai influenciar a definição do preço mínimo da hidrelétrica de Jirau, que também será construída no Rio Madeira. Ele ressaltou, no entanto que são projetos diferentes e que as características de cada um serão respeitadas. O ministro disse que a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) vai dispor de muitos dados com o leilão de hoje para fazer suas análises sobre o leilão de Jirau. Ele lembrou que, durante as conversas com o Tribunal de Contas da União para definir o preço da hidrelétrica de Santo Antonio, chegou a manifestar várias vezes a intenção de ter preços mais elevados para garantir a participação de um número maior de competidores no leilão e que essa foi uma decisão política. Lances perdedoresHubner informou ainda que os lances dos dois consórcios perdedores no leilão de hoje foram de R$ 94,00 e de R$ 98,05. Hubner não soube identificar qual oferta pertence a que consórcio, porque ele acompanhou o leilão pelo sistema eletrônico, que não identifica os concorrentes. Ele disse que, pela experiência das empresas que participaram da licitação, não dá para falar que as propostas estão "fora da realidade". Segundo ele, o governo tinha feito várias simulações, com base, inclusive, nas linhas de financiamento disponíveis no mercado interno e externo e que as apostas ficavam abaixo de R$ 100, mas próximas a esse valor. "O pessoal do consórcio Madeira nos surpreendeu positivamente", disse o ministro.Os outros consórcios participantes foram Energia Sustentável do Brasil (Suez e Eletrosul) e Empresas Investimentos de Santo Antônio (Camargo Corrêa, Chesf, CPFL Energia e Endesa do Brasil).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.