carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Faturamento da indústria de máquinas cresce 22,5%

As indústrias filiadas à Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) registraram em outubro um crescimento no faturamento de 22,56% comparativamente ao mesmo período do ano passado. Esse crescimento, segundo o presidente da Abimaq, Luiz Carlos Delben Leite, foi puxado pelas exportações e acompanhado por uma melhora no emprego do setor, que há meses vinha reduzindo o ritmo de contratações.O volume de exportações em outubro cresceu 12,48%, para US$ 370,19 milhões, sobre o volume embarcado em setembro. No acumulado de janeiro a outubro, as vendas externas subiram 0,79% de US$ 3,01 bilhões em janeiro a outubro de 2001 para US$ 3,04 bilhões este ano. "É importante notar que o bom desempenho das vendas externas de bens de capital mecânicos, que já vinha dando sinais de recuperação ao longo do ano, ocorreu apesar da queda de 71,91% nas vendas para a Argentina", diz Delben Leite.Com isso, o faturamento nominal do setor acumulado no ano foi de R$ 28,28 bilhões, com uma elevação de 11,5% sobre os R$ 25,37 bilhões faturados nos primeiros 10 meses de 2001. No acumulado de 12 meses, o faturamento subiu 8,24%.Quanto ao emprego, a indústria registrou em outubro um aumento de 0,36% na comparação com setembro. Para esse indicador esta é a segunda vez que se verifica crescimento, uma vez que em setembro o emprego já havia aumentado 0,72% sobre agosto. De janeiro a outubro, a indústria de máquinas contratou 2,15% mais que nos mesmos meses do ano passado, o que leva a média de 12 meses a superar em 2,68% a média registrada no mesmo período de 2001.As importações chegaram a outubro registrando uma queda de 13,8% sobre igual período do ano passado. O total de importações acumuladas é de US$ 5,31 bilhões, volume menor que os US$ 6,17 bilhões apurados nos primeiros dez meses de 2001. A Abimaq registrou também queda de 12,69% no volume importado nos últimos 12 meses encerrados em outubro, para US$ 6,40 bilhões. Diante deste números, o saldo deficitário acumulado no ano chega a US$ 2,28 bilhões, que representa uma queda de 27,64% no período de janeiro a outubro de 2001, quando o déficit foi de US$ 3,15 bilhões.As encomendas do setor acumulam no ano até outubro uma queda de 22,4%. Em 2001, o setor possuía uma carteira de pedidos suficiente para trabalhar durante 21,56 semanas, enquanto este ano, no mesmo período, o resultado é de 16,74 semanas. De acordo com a Abimaq, mesmo com a queda apresentada na comparação anual, o resultado de outubro ficou estável. O número de pedidos em carteira até setembro era suficiente para manter as atividades por 16,5 semanas, ante 17 semanas de trabalho em dezembro do ano passado. Ainda segundo a Abimaq, a capacidade instalada manteve-se em 78,9%, mostrando apenas um ligeiro crescimento de 0,2 ponto porcentual na comparação com setembro.

Agencia Estado,

26 de novembro de 2002 | 18h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.