Faturamento da indústria de MG cresce 2,84%, apura Fiemg

O faturamento da indústria de Minas Gerais cresceu 2,84% em setembro com relação a agosto. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve queda de 7,69%, de acordo com a pesquisa Indicadores Industriais, divulgada hoje pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). Economistas da instituição avaliam que, a despeito da retração frente a setembro de 2002, o setor inicia uma retomada importante da atividade. "Desde o início do segundo semestre, esperávamos por este momento; agora depois de três meses com taxas positivas, podemos dizer que há um aquecimento real", afirmou o presidente do Conselho de Política Econômica da Fiemg Lincoln, Gonçalves Fernandes. Em que pese a sazonalidade - a proximidade do final do ano é caracterizada por aumento da produção e contratação de mão-de-obra - Gonçalves acredita a melhoria do mercado interno, com redução gradual dos juros e compulsórios, é a principal razão para a reação do conjunto da indústria. " O grande impulso vem do consumo, beneficiado com as medidas tomadas na área de crédito", analisou. Os setores da indústria que registraram os maiores aumentos no faturamento em setembro foram: mecânica (42,75%), têxtil (8,22%), calçados (7,35%), material elétrico e de comunicações (6,27%), produtos alimentares (5,64%), química (5,14%) e metalurgia (3,06%). Apresentaram queda na variável: celulose (-19,91%), fumo (-8,38%), extrativa mineral (-6,92%), material de transportes (-6,61%), minerais não-metálicos (-5,89%), vestuário e artefatos de tecidos (-3,71%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.