Faturamento de empresas de venda direta cresce 21%

As empresas que trabalham com vendas diretas faturaram R$ 3,6 bilhões no primeiro semestre deste ano. O valor é 21% maior que no mesmo período do ano passado, quando totalizou R$ 3 bilhões. Os dados são da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEDV), que reúne empresas como Avon, Natura, Amway, Sara Lee, Tupperware, entre outras.No período foram vendidos 375 milhões de unidades, um pouco menos que as 378 milhões do primeiro semestre do ano passado, mas a redução não se refletiu no faturamento pois envolveu itens com alto valor agregado. Mais uma vez, o segmento com maior faturamento foi o de ?cuidados pessoais?, que é também o de maior participação no setor. Perto de 84% do total movimentado fica com as companhias de cosméticos, perfumes, bijouterias, vestuários. O setor de ?cuidados para o lar? (utilidades domésticas, produtos de limpeza, cama, mesa e banho) respondem por 13,5% do market share, e ?suplementos nutricionais?, com 2,5%. Para Paulo César Quaglia, presidente da ABEVD, que reúne 23 empresas, o crescimento das vendas está associado ao investimento em marketing e propaganda que está sendo feito assim como a ampliação do grupo de novos revendedores. No primeiro semestre, todas as empresas juntas contabilizaram uma força de venda de 1,160 milhão de pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.