Faturamento do comércio de SP cai novamente em julho

As vendas do varejo da região metropolitana de São Paulo registraram em julho a terceira queda consecutiva. O recuo do faturamento foi de 5,70%, fazendo com que no acumulado deste ano o movimento do comércio esteja apenas 0,59% acima do verificado nos primeiros sete meses de 2002. Mesmo assim, a variação positiva está atrelada ao bom desempenho que o segmento dos supermercados registrou até abril. A partir daí, começou a recuar, acompanhando o comportamento dos demais segmentos.Os dados tendem a ser mais pessimistas no segundo semestre, de acordo com avaliação de economistas da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio SP), que realiza mensalmente a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV). Isto porque as vendas físicas continuam se retraindo, ao mesmo tempo em que a base de comparação (o segundo semestre de 2002) melhora. Em julho, as vendas só não caíram no ramo de materiais de construção, que registrou uma elevação de 10,61% no faturamento. O fenômeno, de acordo com a entidade, pode estar relacionado ao repasse de preços acima da inflação. Já o varejo de bens duráveis caiu 1,52% e o de não-duráveis, - 6,03%. O comércio de roupas e calçados (semiduráveis) ficou com o pior desempenho (-24,03%), mesmo com as liquidações de inverno. A Fecomercio considera que os dados negativos estão sendo influenciados pela base de comparação, mas também pela deterioração do cenário, observada desde maio, pela falta de renda e o desemprego, ao lado de juros altos. A estimativa é de que no acumulado do ano haja uma redução de vendas ou um empate em relação ao ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.