finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Faturamento do comércio de SP caiu 2,55% em agosto

O comércio da região metropolitana de São Paulo, sofreu em agosto uma queda de 2,55% no seu faturamento na comparação com julho, segundo balanço divulgado hoje pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio). Segundo analistas, os indicadores de atividade, em geral, estão refletindo uma situação em que suas respectivas bases de comparação já estão melhor constituídas.Até julho os mesmos indicadores, quando comparados com os de iguais meses do ano passado, mostravam altas significativas por causa da baixa base de comparação. O argumento sobre a distorção das bases comparativas ganha força quando o próprio faturamento do comércio em agosto mostra um crescimento de 4,92% em relação aos registros de agosto do ano passado pela própria Fecomércio.SetoresO número de setores que registraram queda no faturamento em agosto subiu para quatro contra um em julho, segundo os dados da Fecomercio. Em julho, apenas o setor de autopeças apresentou resultado negativo. No mês passado, comparativamente a agosto do ano passado, os quatros segmentos que tiveram queda no faturamento foram lojas de departamentos (1,27%), lojas de eletroeletrônicos e cine-foto-som (2,71%), supermercados (2,65%) e novamente lojas de autopeças (6,69%).Taxas de crescimento do varejo devem perder fôlegoPara os economistas da Fecomercio, as taxas de crescimento do varejo devem começar a perder fôlego a partir de agora. Segundo eles, a base de comparação mais forte e o processo de estagnação nos níveis de emprego e renda, verificados em pesquisas recentes, devem fazer com que o comércio varejista registre uma alta entre 5% e 6% em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.