Faturamento do comércio em SP cresceu 9,8% em julho

O faturamento real do comércio varejista do Estado de São Paulo teve crescimento de 9,8% em julho, na comparação com o mesmo mês de 2004. O resultado foi divulgado hoje pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio). A pesquisa da entidade indica que o setor acumula alta de 7,9% no faturamento real nos primeiros sete meses de 2005 (janeiro a julho), em relação ao mesmo período do ano passado. Até junho, a alta acumulada era de 7,5%.O crescimento do faturamento do comércio paulista em julho ficou bastante concentrado em setores dependentes de crédito. O melhor desempenho foi o do comércio automotivo, que engloba concessionárias, autopeças e acessórios. As concessionárias registram alta de 27,59% no faturamento em julho, ante julho de 2004. As lojas de autopeças e acessórios, de 37,83%.O forte desempenho do comércio automotivo vem se repetindo ao longo dos últimos meses. No acumulado do ano até julho, as concessionárias de veículos registram aumento de 35,08% e lojas de autopeças e acessórios tiveram alta de 41,04%.Em julho, a Fecomércio registrou aumento expressivo de vendas da lojas de vestuário, tecidos e calçados, que tiveram alta de 28% em comparação com o mesmo mês de 2004. Na comparação com o junho deste ano, o crescimento foi de 13,79%. No acumulado do ano, a alta desse setor é menor, de 22,09%."Esses dados mostram claramente a importância decisiva que o crédito vem mantendo nos resultados do comércio, num período em que a confiança do consumidor ainda mostrava uma queda restrita", disse o presidente da Fecomercio, Abram Szajman, em nota. "E esta é a tendência para os próximos meses."Desempenho fracoSetores cuja demanda não estão atrelados ao crédito tiveram um desempenho mais fraco. O pior resultado é o de supermercados que tiveram uma queda de 5,99% em julho ante ao mesmo mês de 2004. Já na comparação com junho, o resultado foi positivo, com alta de 1,74%. No acumulado do ano até julho, os supermercados registraram queda de 6,86% no faturamento.PerspectivasA expectativa da Fecomercio é de que o comércio tenha um crescimento entre 3% e 5% em 2005. Em nota divulgada hoje, a entidade pondera que, embora positivo, o crescimento está "aquém das possibilidades do varejo". O crescimento esperado para o comércio acompanha a expectativa para o comportamento geral da economia em 2005, diz a Fecomércio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.